https://ybakatu.wordpress.com/2019/05/13/a-paisagem-como-politica-exposicao-individual-de-fernando-augusto/

A Galeria Ybakatu apresenta a individual “A Paisagem como Política”, do artista Fernando Augusto (ES), que conta com livros de artista, aquarelas e desenhos de paisagens a carvão. A abertura acontece no dia 9 de maio, às 19h.

A PAISAGEM COMO POLÍTICA

F. Augusto

Vitória-ES, 20 de abril 2019

 

A Paisagem como política é o título de um dos trabalhos desta exposição: um livro desenhado há mais de cinco anos atrás  que, agora revistado e redesenhado, define o perfil desta mostra. São 32 páginas de uma paisagem estranha, distante e próxima, habitada por um sentimento que  vai da minha primeira exposição, ocorrida  em Belo Horizonte, em 1984,  à última, que foi minha participação na SP-Arte em 2019.

A exposição de 1984,  apresentava uma série de pinturas\desenhos intitulados “Vocês vão pela esquerda, nós pela direita”, com figuras monstruosas, ora gritando, ora conchavando em torno de mesas palacianas, planos diabólicos. Tinha, inclusive, uma intitulada "O Homem Bomba". Era o momento da abertura política no país, a ditadura militar estava preste a findar e, o grito "diretas já" ecoava pelas ruas, contornando um anseio que o Brasil nunca compreendeu, nem realizou direito. Como estudante,  tomei parte nas passeatas que pediam o fim daquele regime, e bradava com os manifestantes esse grito, mas nas telas, dava um grito muito maior, o qual, nunca arrefeceu.

De lá para cá, ou daqui para lá é que me permito perguntar que paisagem é essa? Que política é essa? Tenho a sensação de que ditaduras se sucedem. Comecei então, a desenhar paisagens enquanto recorte da realidade que miramos, enquanto olhar interessado na terra, no país que habitamos, cujo radical a palavra inscreve: pais-agem, (paisagem); e, a política, como regime de confiança, de generosidade e de possibilidades para se viver em sociedade. 

Não se trata de uma retrospectiva, mas de um olhar em retrospecto que permite olhar para trás e refletir sobre o trabalho realizado, sobre o caminho percorrido, e ver que meu desenho de hoje carrega aquele mesmo temperamento. É um pouco dessa paisagem que trago para a Galeria Ybakatu neste momento.

 

Fernando Augusto dos Santos Neto (Itanhém BA 1960)

 

Graduação em Artes Plásticas –Escola de Belas Artes  Universidade Federal de Minas Gerais - Belo Horizonte , 1987.

Doutorado em Comunicação e Semiótica -Pontifícia Universidade Católica SP – 2001.

D.E.A. Diplôme des Étude approfundies – l‘Université Paris I Sorbonne – Paris, 2000.

É professor do Departamento de Artes Visuais da Universidade Federal do Espírito Santos – Vitória-ES.

 

Artista plástico, pintor, desenhista e fotógrafo, graduado pela Escola de Belas Artes da UFMG.

Doutor em comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e pela L´Université Paris I – Sorbonne França.

Foi professor do Departamento de Artes Visuais da Universidade Estadual de Londrina, responsável pelas disciplinas de pintura, desenho e fotografia.

Foi coordenador do curso de pós-graduação em História e Teoria da Arte – Modernidade e Pós-Modernidade do Departamento de Arte da Universidade Estadual de Londrina.

Publicou mais 20 artigos sobre arte no período entre 2001/2002 na coluna semanal “Arte e cultura” do Jornal de Londrina, Londrina-PR. Destacam-se: O vulcão, Diário de Viagem, A transitoriedade do desenho, Aparelhos e o Corpo, Parade e entrevistas com os artistas Arthur Luiz Pizza, Flávio Shiró, Fernanda Magalhães, Paolo Ridolfi e Laércio Redondo.

Foi membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte (ABCA) e da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas (ANPAP).

É professor do Centro de Artes Visuais da Universidade Federal do Espírito Santo - Vitória-ES.

 

SERVIÇO:

Galeria Ybakatu

Rua Francisco Rocha, 62 Lj. 06 Batel - Curitiba/PR

Tel: +55 41 32644752

www.ybakatu.com | Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Coquetel de abertura: 09 de maio às 19h.

Período expositivo: 10 de maio a 08 de junho.

Visitas agendadas de segunda a sexta, das 10h às 12h00 e das 13h30 às 17h.

Entrada franca.